Blima Bracher

Crônica: Houve um Tempo

Houve um tempo

Em que existir bastava
E os egos eram coletivos
Os saltos baixos
As ladeiras planas
Os sorrisos tortos
As tardes longas
O brilho fosco
E as ruas largas
E apenas existir bastava
Houve um tempo
De vizinhos amiúde
De Castelos sólidos
E menos perfume
Direi deste tempo
Pois só ele diz de mim

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Crônicas

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
CarlosmrsBH

bom dia, meu falecido pai foi muito amigo do Bracher, ele era cliente frequente da loja da minha familia, ” Casa Jayme ” meu pai era o Jayminho………..mande um abraço ao Bracher em meu nome…