Blima Bracher

Dos Vikings aos Cristãos: a fama da sexta-feira 13

A deusa Viking Frigga amaldiçoada pelos cristãos como bruxa

A deusa Frigga, esposa de Odin, na mitologia Viking teria sido amaldiçoada como bruxa pelos cristãos e fazia rituais nas sextas-feiras, sempre com 13 pessoas

Em várias culturas, o número 13 é sinônimo de má sorte. Desde os Vikings, série exibida pela Netflix, há a crença de que sempre que 13 pessoas se reúnem algo sai errado. O Deus nórdico Odin, cultuado pelos guerreiros dos mares, teria convidado 12 divindades para um banquete, mas Loki, deus da confusão, fogo e discórdia teria ficado de fora. Furioso, reza a lenda que ele teria aparecido no banquete e matado um dos convidados.

A também divindade Viking da fertilidade, Frigga, mulher de Odin teria sido amaldiçoada pelos cristãos como bruxa. Então, todas as sextas-feiras ela e mais onze bruxas saíam junto com Loki amaldiçoando os cristãos.https://www.netflix.com/br/title/70301870

No ocidente, o mito estaria ligado à Última Ceia cristã, onde Jesus reuniu-se com os apóstolos para instituir a eucaristia antes de ser morto. O lugar 13 da mesa teria sido ocupado por Judas Iscariótes, o traidor de Cristo. Soma-se a isso o fato da execução de Cristo ter ocorrido numa sexta-feira.

No Antigo Testamento, Adão e Eva teriam sucumbido ao pecado numa sexta-feira e Caim teria matado o irmão Abel numa sexta também. No livro do Apocalipse o número 13 seria o algaritmo da discórdia e confusão, ligado ao anticristo.

Historicamente, a sexta-feira 13 também teria causado estragos. Ameaçado pelo crescente poder da Igreja na França, o rei Felipe IV teria tentado se juntar à Ordem dos Templários, mas foi recusado. Irado, o rei francês teria ordenado a perseguição e extinção da Ordem dos Cavaleiros numa sexta-feira 13 de outubro de 1307.

Também os indianos, adeptos do hinduísmo evitam qualquer reunião com o número 13 de convidados.

Também na Mongólia, a temida e sanguinária dinastia dos Khan teria sido iniciada no século XIII, pelo terrível Genghis Khan.

Na numerologia, o número 12 é considerado perfeito e o 13 traria desordem

Existe até um temo para este medo Paraskevidekatriafobia, que vem do grego Paraskevi ( sexta-feira) e Dekatreis ( o número 13).

Muitos místicos evitam o dia. Não passam embaixo de escadas, não quebram espelhos e até evitam se olhar neles. Se um gato preto cruzar seus caminho então…

Muitas pessoas evitam sair de casa neste dia. Há prédios em todo o mundo, cujo andar 13 não existe.

Com a renovação das tradições, atualmente, as pessoas gostam até de brincar com seus medos. Assim como acontece no Halloween, Dia das Bruxas, alguns até levam as superstições para o oposto, associando o dia a muita sorte. Bem… Não custa nada cruzar os dedos. www.uai.com.br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.