Blima Bracher

Dez coisas sobre a culinária dos Vikings

As peles de caça viravam casacos.
Na foto o lendário Bjorn Braço de Ferro, Alexander Ludwig

Para se entender sobre culinária nórdica , escandinava, hoje países como Dinamarca , Noruega, Finlândia , Suécia e Islândia é preciso entender das estações do ano.

  • Basicamente havia a época do plantio, na primavera. Os vegetais eram defumados pro inverno ou armazenados como grãos para a época de gelo, onde nada florescia.
Grãos para os ensopados de inverno
  • Além fas conservas salgadas como os picles que os Vikings inventaram, havia compotas de frutas com mel. As frutas colhiadas na primavera viravam geléias e doces , mesmo sem açúcar
Frescas na primavera, as frutas biravam doces e compotas no inverno
  • As carnes eram de rebanhos de ovelhas, porcos, galinhas, e mesmo gado criado em fazendas. Mas havia caças como lebres, javalis, cervos, bisões entre outros. Para mantê- las por mais tempo, havia uma espécie de sala de defumação.
Sala de defumação
  • Os nórdicos eram exímios pescadores, sendo a pesca de salmão focas, tubarões, atuns e ate baleias fonte de comida e óleo para o ano inteiro. Mesmo com o mar congelado tinham técnicas.
  • Leite era armazenado como queijo..
  • Apesar de alguns serem alucinógenos, muitos cogumelos eram inofensivos e muito apreciados pelos pelos Vikings. Durante rituais, tomavam chás de cogumelos alucinógenos e havia orgias.
Cogumelos
  • O pão era produzido o ano inteiro com a reserva de grãos cultivados durante a primavera.
Pão de grãos
  • Os banquetes eram regados a cerveja e hidromel uma mistura de mel e água que fermentava e era muito apreciada pelos vikings
Chifres eram usados como copos, Faxiam.talheres de ossos.
Banquetes
As peles dos animais serviam como casacos
  • Os ensopados de vegetais e carnes aqueciam e davam disposição . Além do sal marinho, expedições e acordos com a Índia garantiam especiarias e temperos.
Ensopados
Cozinha Viking
  • Uma espécie de lareia em forma de fogão era colocada no meio da sala para servir aos viajantes
#blimabracher #blima bracher

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.