Blima Bracher

Bracher se consagra como pintor performático em eventos

Energético, inquieto, colorido. A fúria com que o pintor ataca suas telas, sempre em golpes de pinceladas numa espécie de dança com o quadro, vem atraindo cada vez mais o interesse do público.  Suas experiências fora do Atelier estão atraindo grande público, levando o cavalete para as ruas, como faziam os pintores impressionistas.                                      Criador do próprio estilo , o “Expressionismo Barroco”, Bracher é  o pintor brasileiro vivo que mais expôs em grandes palácios, galerias e museus no exterior.                      Aos 28 anos ganhou o maior Prêmio de Pintura do Brasil, o Prêmio de Viagem ao Estrangeiro, do Museu Nacional de Belas Artes, juntando-se a restrito grupo do qual faz parte o grande Cândido Portinari.                 Na volta do Cruzeiro à primeira divisão do futebol, Bracher pintou no Mineirão com recorde de público: 61.800 pessoas. Em Juiz de Fora lutou o Cine Teatro Central e em Ouro Preto, foi a atração da abertura da 43ª Semana de Aleijadinho. Bracher já havia feito nas ruas da Capital Federal à Série Brasília, que rendeu o livro “Bracher- Brasília”  e o filme documentário ” Âncoras aos Céus “, dirigido por Blima Bracher e premiado em festivais de cinema.  Sobre Bracher o crítico e jornalista Ângelo Oswaldo  disse : ” nas pinceladas é  possível identificar o vigor de um artista que se joga sobre a tela em movimento frenético e furioso”. Assista algumas performances:Com http://@ateliecasabracher Ricardo Correia Araújo, http://@eribertoleao72 .https://youtu.be/oWxRHIjQ1VE,    https://youtube.com/shorts/m9Z3mSOILmg?feature=share ,

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments