Blima Bracher

Zona da Mata mineira sofre com as chuvas

Recreio, em Minas Gerais (foto Corpo de Bombeiros)

A rotina se repete: o dia amanhece abafado e no meio da tarde as nuvens se aglomeram, culminando com uma chuva intensa que depois passa. Mas o chuvisco costuma varar a madrugada. Essa é a realidade que vem castigando cerca de 20 cidades da Zona da Mata e Região das Vertentes. O corpo de bombeiros registrou ocorrências, inclusive com a queda de barreiras em Juiz de Fora, Piau, Tocantins, Guiricema, Tabuleiro, Recreio, Cataguases, Piraúba, Guarani, Coronel Pacheco, Astolfo Dutra, Muriaé , São Sebastião da Vargem Alegre, entre outros municípios. Também estão em estado de alerta: Cataguases e Dona Euzébia com risco de inundação. Piau, onde fica a Pequena Central Hidrelétrica (PCH) da Cemig está sob vigilância desde a última quarta-feira, desde que o volume de água quase dobrou. Os principais acessos de Piau para Juiz de Fora estão interditados por conta da queda de barreiras nas estradas. Segundo o secretário de Governo de Piau, Eduardo Fonseca de Castro, a situação segue controlada. “O Rio Piau não voltou ao nível normal, mas, ao menos, parou de subir”. Não há informações de desalojados na cidade.

No município de Rio Pomba , moradores da zona rural ficaram ilhados, sem acesso ao centro urbano.

Cerca de 12 casas foram atingidas com deslizamentos de terras em Santos Dumont, distante cerca de 50 quilômetros de Juiz de Fora, mas não há feridos. As chuvas devem continuar nos próximos dias.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.