Blima Bracher

Turismo de visitação de Minas em Ouro Preto pede socorro

Atração turística em Ouro Preto: visitação de minas de ouro

Ouro Preto está preocupada com o fechamento das minas de ouro durante a pandemia. Os locais atraem turistas do mundo inteiro. “Nós temos hoje em Ouro preto oito minas de ouro que estão preparadas, organizadas e credenciadas para atividades turísticas. Elas agora se articulam numa união para que possamos ter um programa efetivo de visitação às minas com animação, com uma série de iniciativas que vão enriquecer ainda mais esse circuito e proporcionar aos visitantes, aos proprietários, aos guias de turismo e a todos aqueles que estão vinculados a essa área, como atividade sócio-cultural e econômica em Ouro Preto, uma viabilidade muito maior de levantar recursos e ter um trabalho importante de valorização do turismo e da cultura em Ouro Preto”, disse o prefeito Angelo Oswaldo em reunião com representantes do setor..

A reunião foi intermediada pela vice-prefeita Regina Braga, que enalteceu a união do grupo.

Quem solicitou o encontro foi o proprietário da Mina Du Veloso, Eduardo Evangelista. “Esse encontro foi muito importante porque o turismo de visitação nas minas cresceu muito nos últimos anos em Ouro Preto e carece de uma maior organização. Com esse processo da pandemia, a gente está sentindo muito a questão financeira. A gente quer a parceria da Prefeitura para organizar esse sistema de turismo, que é uma saída para Ouro Preto, pois tem uma aceitação muito grande, atraindo visitantes do país e do exterior. A ideia do encontro é essa, fazer a união das minas buscando um melhor retorno financeiro”.

O secretário Rodrigo Câmara diz que o poder público precisa ouvir mais. “O que nós estamos fazendo hoje é um trabalho que estava adormecido, que é sermos ouvintes da população de Ouro Preto, dos empreendedores da cidade. Foi muito positivo o saldo desse diálogo. Foi um encontro acolhedor. A gente conseguiu perceber algumas situações que estrangulam o setor, e que podemos oferecer uma série de melhorias, de apoio e de orientação para que se tenha um atrativo turístico seguro, que seja interessante tanto para o turista quanto para o empreendedor e para os guias. É uma grande cadeia que precisa estar articulada”.

Dentre os encaminhamentos, destaca-se o estudo para a organização de uma associação que represente os interesses da categoria, a criação de um circuito que englobe todas as minas e a formalização do setor.

Além da Mina Du Veloso, estavam representadas no encontro as minas do Bijoca, Jeje, Palácio Velho, Chico Rei, Felipe dos Santos, Treze de Maio e Santa Rita. Informações do Setor de Comunicação da PMOP.http://www.ouropreto.mg.gov.br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.