Blima Bracher

Oficina gratuita de tapetes devocionais com Rodrigo Câmara

Rodrigo Câmara e os tapetes devocionais


Em abril, a Casa Fiat de Cultura dá destaque a uma das mais importantes tradições mineiras, realizada em diversas regiões do Estado: os tapetes feitos de serragem e outros materiais, com temáticas de devoção. No Encontros com o Patrimônio “Tapetes Devocionais: tradição e arte pelos caminhos de Ouro Preto”, a historiadora e educadora Ana Carolina Ministério convida o Secretário de Turismo de Ouro Preto, Rodrigo Câmara, para uma bate-papo ao vivo, no dia 25 de abril, das 11h às 12h30. A participação é gratuita com inscrição pela Sympla (http://bit.ly/TapetesDevocionais).

Os tapetes devocionais são produzidos nas ruas com materiais coloridos e conduzem a comunidade e os turistas pelo trajeto da Procissão da Ressurreição em várias cidades mineiras. A historiadora e educadora da Casa Fiat de Cultura Ana Carolina Ministério vai destacar a origem dessa tradição, carregada de beleza e significados, seu caráter histórico e o reconhecimento enquanto Patrimônio Imaterial da cidade de Ouro Preto. Confeccionados a partir de materiais como cal, cipreste, serragem crua e colorida, farinha de trigo, flores e até pó de café, os tapetes envolvem um trabalho coletivo e colaborativo que acontece na noite de Sábado de Aleluia e na madrugada do Domingo de Páscoa. Para Ana Carolina Ministério, a importância dessa celebração ultrapassa o seu valor religioso. “Estamos falando sobre uma tradição histórica e muito antiga, típica do período colonial e da cultura barroca, que remonta ao século XVIII, e que voltou a ganhar força na década de 1960”, explica.

O convidado desta edição, o Secretário de Turismo de Ouro Preto, Rodrigo Câmara, vai abordar os tapetes enquanto linguagem e representação, com ênfase nos materiais, processos produtivos e perpetuação cultural da tradição. Para ele, os tapetes devocionais carregam consigo uma grande pluralidade de aplicações e são um agente agregador e de socialização. “Também são responsáveis por manter importantes tradições em cidades históricas, e têm papel imagético no turismo”, defende.

Os tapetes são reconhecidos em todo o mundo enquanto importante tradição cultural. Ana Carolina Ministério destaca que, atualmente, além da manifestação religiosa, “os tapetes podem ser usados para uso não devocional, sendo considerados uma intervenção artística urbana”.

O Encontros com Patrimônio “Tapetes Devocionais: tradição e arte pelos caminhos de Ouro Preto” é realizado pela Casa Fiat de Cultura, com apoio do Ministério do Turismo, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, Patrocínio da Fiat e do Banco Safra, copatrocínio da Expresso Nepomuceno, da Sada e do Banco Fidis. O evento tem apoio institucional do Circuito Liberdade, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), do Governo de Minas e do Governo Federal, além do apoio cultural do Programa Amigos da Casa, da Brose do Brasil e da Brembo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.