Blima Bracher

Live: Bracher e a experiência de pintar Brasília

Bracher e a experiência de pintar Brasília. Foto Sérgio Pereira Silva

ATELIÊ CASA BRACHER

No dia 21 de abril, o pintor Carlos Bracher presta homenagem ao aniversário de 61 anos de Brasília

Na live “Bracher: Brasília”, será exibido o filme “Âncoras aos céus”,

dirigido por Blima Bracher, seguido de bate-papo ao vivo com o artista

No próximo dia 21 de abril, quando se completam 61 anos de sua fundação, Brasília será homenageada pelo pintor mineiro Carlos Bracher. Trata-se de uma celebração da cidade que o encantou em sua primeira visita, nos anos 60 – e cuja arquitetura e monumentos ele retrataria em suas pinturas quarenta anos mais tarde. Como parte da programação do Ateliê Casa Bracher, a live “Bracher/Brasília” exibirá o documentário “Âncoras aos céus”, dirigido por Blima Bracher, que registrou de perto a jornada do artista em sua temporada brasiliense. Em seguida, Silvestre Gorgulho (jornalista e ex-secretário de Estado de Cultura de Brasília) conversa ao vivo com o artista sobre sua forte ligação com a capital federal. O evento começa às 19h, com transmissão pelos canais oficiais (YouTube, Instagram e Facebook) do Ateliê Casa Bracher. O Ateliê Casa Bracher tem patrocínio do SESI.

Carlos Bracher recorda que o desejo de pintar Brasília foi despertado em 1962, quando viajou para a cidade pela primeira vez, aos 21 anos. “Fiquei maravilhado com aquela cidade nova, diferente de tudo que havia visto antes. Os palácios pousando num só ponto, tudo elevado como que flutuando, a ausência de cruzamentos de carros. Aquilo me deu muita vontade de pintar.” Entre 2006 e 2007, Bracher colocou esse sonho em prática e dedicou uma série à capital federal, em uma homenagem a Juscelino Kubistchek, presidente do Brasil à época da fundação da cidade, e Oscar Niemeyer, arquiteto responsável pelo projeto ao lado de Lúcio Costa.

Os 66 quadros da série “Brasília” foram pintados por Bracher ao ar livre, na frente de monumentos e no meio de praças, com o vaivém das pessoas em volta. Em suas telas, estão lugares emblemáticos como Congresso Nacional, Catedral de Brasília, Ponte Juscelino Kubitschek, Praça dos Três Poderes, Memorial JK, Esplanada dos Ministérios, Supremo Tribunal Federal e Embaixada da Itália. A série também traz 30 gravuras feitas, posteriormente, no Castelinho dos Bracher (Juiz de Fora).

“Sou um pintor de rua, assim como os impressionistas que realizavam suas obras fora dos ateliês. Pretendi que em Brasília fosse dessa maneira, pintada ao vivo, junto da natureza, da arquitetura, diante das árvores e das nuvens. Há um outro componente que são as pessoas, que chegam e vão, se integrando àquele momento”, diz Bracher.

Diretora de “Âncoras ao Céu”, a jornalista Blima Bracher, filha de Bracher, recorda que a série dedicada à Brasília marcou o início de uma parceria com seu pai. “A documentação do trabalho do meu pai começou ali. Eu havia sido repórter de TV durante dez anos e tinha alguma experiência com a câmera. Como temos muita intimidade, consegui ângulos que seriam difíceis para outro cinegrafista. Fiz experimentações, tentei gravar as sombras, a palheta, o suor. É um filme de amor”, conta Blima, que teve o documentário exibido no Canal Brasil e premiado na CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto.

Parte das obras da série “Brasília” podem ser vistas no tour virtual do projeto Ateliê Casa Bracher (www.ateliecasabracher.com) onde, desde dezembro, mais de 150 obras da coleção pessoal do casal de artistas Carlos e Fani Bracher estão disponíveis online. O acervo fica localizado anexo ao casarão onde ambos residem há cinco décadas, em Ouro Preto. Em homenagem ao lançamento do projeto, uma série de eventos com a participação dos artistas e de convidados acontecerá no site e nas redes sociais do Ateliê durante este ano.

Fotos de Sérgio Pereira Silva
Interior da Catedral
Catedral e o quatro Evangelistas
Foto Blima Bracher
Foto Sérgio Pereira Silva


O TOUR VIRTUAL

Através de tour virtual no Ateliê Casa Bracher (www.ateliecasabracher.com), o público tem uma visualização em 360° dos ambientes do sobrado colonial, construído há mais de 200 anos, localizado no centro histórico de Ouro Preto (Cidade Patrimônio Cultural da Humanidade) e pode apreciar, em detalhes, mais de 150 obras do casal, que traçam a trajetória de cada um desde o início da carreira. Ao clicar nas obras, é possível acessar conteúdos variados – fotos, vídeos e textos informativos.

FICHA TÉCNICA ATELIÊ CASA BRACHER

Artistas: Carlos Bracher e Fani Bracher

Coordenação Geral: Larissa Bracher | Sergio Saboya | Silvio Batistela

Coordenação ACB, pesquisa, arquivo, acervo, curadoria, vídeos, produção executiva de eventos e textos do site: Blima Bracher

Assessoria de Imprensa: Paula Catunda | Fernanda Lacombe

Tour Virtual Hipermídia: Ricardo Macedo e Cristiane Macedo

Coordenação site e tour virtual: Carlos Chapéu

Sound designer e trilha sonora: Marcello H .

Tradução: Aline Casagrande (inglês e espanhol) | Roberta Arantes (inglês)

Social media: THD Digital

Coordenação financeira e administrativa: Letícia Nápole

Contabilidade: Contabilidade Teixeira e Carvalho CTC

Anúncios publicitários: Nea Palma Comunicações

Teasers dos eventos: André Sutton

Fotos: Acervo pessoal, Blima Bracher, Edmar Luciano, Ricardo Correia de Araujo, Larissa Bracher, Rômulo Fialdini, Miguel Aun, Pollyanna Assis, Pirex, Dimas Guedes, Zélia Gattai, Eduardo Tropia, Sérgio Pereira Silva, Sérgio Bara.


Ateliê Casa Bracherwww.ateliecasabracher.com
Evento Bracher/Brasília Dia 21 de abril (quarta), às 19h. Gratuito. Exibição do documentário “Âncoras aos céus”. Direção e câmera: Blima Bracher. Edição: André Sutton e Kabeh Ferreira. Duração: 25 min. Classificação: Livre.Bate-papo ao vivo com artista Carlos Bracher. Mediação: Silvestre Gorgulho
Transmissão nos canais do Ateliê Casa Bracher:Instagram e Facebook: @ateliecasabracher YouTube: bit.ly/ateliecasabracher

Assessoria de imprensa:

Paula Catunda | paula.catunda@gmail.com (21) 98795-6583

Fernanda Lacombe | fernanda@lageassessoria.com (21) 98121-7409

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.