Blima Bracher

Casa da Ópera: projeto para a pós-pandemia

Sussuca, Margareth Monteiro e Vicente Gomes: projetos para revitalizar a Casa da Ópera

O Teatro Casa da Ópera tem capacidade para 350 pessoas, e foi construído pelo português João de Souza Lisboa em comemoração ao aniversário do rei Dom José I.

A famosa Casa da Ópera de Ouro Preto é o primeiro teatro do Brasil e mais antigo em funcionamento da América Latina, considerada por arquitetos e historiadores uma joia patrimonial, de Ouro Preto. Foi naugurada em 1770 e completa 251 anos no dia 06 de junho.

“A nossa proposta é dar para o teatro municipal o status que ele merece. Teremos uma programação constante e acessível a todos”, declara a historiadora Margareth Monteiro, que está à frente da Secretaria de Cultura e Patrimônio.

A secretária apresentou como novo gestor do teatro o artista plástico ouro-pretano Roberto Ferreira dos Santos, o Sussuca. Ele enumera as primeiras ações. “Estamos recebendo com amor este desafio. Vamos criar condições para que esse espaço receba grandes nomes da música, dança e dramaturgia brasileiras, fazendo jus ao objetivo para o qual a casa foi criada. Vamos montar um projeto para buscar junto à iniciativa privada recursos que possibilitem a realização de eventos. O foco será não só o turista, mas principalmente a população de Ouro Preto que terá opção de lazer e oportunidade de assistir a grandes espetáculos”.

O prédio do teatro passou na última quarta-feira, 26 de janeiro, por uma vistoria feita pela equipe técnica da Secretaria de Cultura e Patrimônio.

A maior novidade é o resgate da ajuda de Vicente Gomes, que aposentado e com 48 anos de serviços prestados à casa, está de volta para este projeto de revitalização da Casa da Ópera. “É a minha segunda casa. Estou emocionado por este convite. Vou fazer o melhor para ajudar nesta proposta de grandes eventos para toda a população da cidade. Vim trabalhar no teatro pelas mãos do prefeito Angelo, e retorno agora, depois da aposentadoria, pelas mãos dele. Darei o meu máximo”, promete. Não temos dúvidas disso, Vicente.

Infos: Departamento de Comunicação PMOP . Foto Ane Souz

Casa da Ópera

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.