Blima Bracher

Ateliê Casa Bracher: visite com um clique

Tour virtual no Ateliê Casa Bracher e minidoc sobre Carlos e Fani Bracher

  • Já é possível acessar o tour virtual no Ateliê Casa Bracher. Acesse https://tourvirtual360.com.br/bracher/. O público tem visão em 360° dos ambientes do sobrado colonial construído há mais de 200 anos, localizado no centro histórico de Ouro Preto (Cidade Patrimônio Cultural da Humanidade) e pode apreciar, em detalhes, mais de 150 obras do casal, que traçam a trajetória de cada um desde o início da carreira. Ao clicar nas obras, será possível acessar conteúdos variados – fotos, vídeos e textos informativos. Haverá também uma galeria virtual para compra de obras.
  • No térreo da casa, estão obras de Carlos Bracher, artista brasileiro que mais fez mostras individuais fora do país. Foram selecionadas 38 telas representativas de todas as suas fases: paisagens; retratos (os de Pino Solanas, Affonso Romano de Sant’anna e Leonardo Boff são alguns deles); autorretratos (que vão desde o início da carreira até os mais recentes, feitos durante o confinamento); além de pinturas com motivos marinhos e flores.
  • O acervo conta ainda com obras representativas de suas renomadas séries temáticas: “Homenagem a Van Gogh” (1990), feita no centenário da morte do pintor holandês com exposições nas Américas, Europa e Ásia; “Do Ouro ao Aço” (1992), sobre a siderurgia em Minas Gerais; “Brasília” (2006/2007), homenagem a Juscelino Kubistchek e Niemeyer; “Petrobras” (2012), uma ótica artística sobre o universo industrial do petróleo; e “Tributo a Aleijadinho” (2014), releitura contemporânea sobre a obra do grande mestre do Barroco em homenagem aos 200 anos de sua morte.
  • No segundo andar e no subsolo, localizam-se as obras de Fani Bracher das quais 85 delas serão exibidas no tour virtual. São óleos, objetos, mobiliário, panos, bordados, colchas, desenhos, figurinos de teatro, além de suas fases temáticas: “Paisagens”, “Mineração”, “Flores”, “Ossos”, “Pedras” e “Setas”. Também estão os pigmentos in natura usados na série “De Pigmentos e Pedras”, criada durante a pandemia. “Nunca trabalhei tanto quanto neste período. Fiz quadros e objetos com elementos orgânicos. Ao mesmo tempo, comecei a bordar. Fiquei com a minha cabeça ocupada o tempo todo. Foi um período muito interessante e produtivo”, reflete Fani Bracher. Acesse agora: http://www.ateliecasabracher.com Assista ao Documentário pelos 80 anos de Carlos Bracher https://www.youtube.com/watch?v=97DQUjHwbPs. Veja ainda : https://instagram.com/ateliecasabracher?igshid=5uv0pc6r5a5y e https://www.facebook.com/ateliecasabracher
Com #blimabracher @blimabracher

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários