Blima Bracher

Ouro Preto lidera ranking de empregos na região

A Diretoria de Estudo Econômicos analisou dados extraídos do Ministério do Trabalho, mais precisamente, sobre o mercado de trabalho de Minas Gerais em 2022, e concluiu que Ouro Preto foi a 22ª cidade que mais gerou empregos com carteira assinada naquele ano.

Consultando bancos de dados e analisando as informações, o diretor de Estudos Econômicos Fábio Rocha identificou que o município de Ouro Preto, no ano passado, obteve uma ótima performance em número de empregos, isso comparado aos demais municípios mineiros. Essas informações são os microdados disponibilizados mensalmente, assim que o relatório do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) é publicado no mesmo portal, e representam apenas os empregos de carteira assinada.

  • Para Felipe Guerra, secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Tecnologia, essa notícia reforça as boas iniciativas que o atual governo tem feito desde o primeiro dia de mandato. “Ouro Preto é a cidade da região que menos vem arrecadando com a mineração nos últimos anos e, mesmo assim é a que mais vem gerando empregos. Ano passado, foram mais de 1.800 novos postos de trabalho e agora estamos, mais uma vez, à frente da geração de emprego da Região dos Inconfidentes. Esse dado reforça que estamos trabalhando de forma eficaz nas ações de diversificação econômica, capacitação profissional e na relação mais próxima com o empresariado ouro-pretano”.

“É um resultado muito feliz para toda região, pois mostra que estamos trabalhando em conjunto, com reuniões constantes entre os secretários de desenvolvimento econômico, que, inclusive, a próxima acontecerá em Ouro Preto, dia 19 de maio. Estamos pensando na diversificação econômica regional, pois só assim será possível mudar a nossa realidade”, finalizou Felipe Guerra.

O diretor de Estudos Econômicos Fábio Rocha, destaca que esse resultado é muito relevante porque mostra que a economia está aquecida, e que os tempos ruins dos anos de pandemia já estão definitivamente encerrados. “Outra informação relevante que podemos tirar é que, à medida que mais pessoas estão no mercado de trabalho, sobretudo as com carteira assinada, a tendência é que o salário aumente. Isso porque já que existe baixa oferta de trabalho e os salários precisam ficar mais atraentes, para os que estão ociosos entrem na atividade. Em termos gerais, o mercado de trabalho é regido pelas leis de oferta e demanda, assim como os mercados de bens e serviços, onde os preços determinam as quantidades consumidas e ofertadas. No caso do mercado de trabalho, os preços são os salários”.

Segundo a análise da Diretoria de Estudos Econômicos, a colocação do ranking de geração de empregos ficou assim: Ouro Preto – 22º (1434); Itabirito – 29º (1071); Ouro Branco – 48º (748); Congonhas – 52º (688); e Mariana – 57º (658).

Texto: Nathália Souza  / Revisão: Victor Stutz

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments