Blima Bracher

Ouro Preto: dívida de 126 milhões assusta o Executivo

Ouro Preto:
Angelo Oswaldo e a vice-prefeita, Regina Braga, se assustam com dívidas do município

A Prefeitura de Ouro Preto realizou uma coletiva de imprensa para explicar a situação financeira do Município. Nela ainda foi discutido sobre a fiscalização das obras de asfaltamento da sede e dos distritos, a iniciativa do Plano de Retomada da Economia da cidade e a extinção da ARSEOP.

Segundo o secretário de Fazenda, Felipe Pinho, Ouro Preto possui uma dívida de R$ 126 milhões que já foi negociada pela atual gestão para que sejam feitos os pagamentos. “Esse débito compreende, além do empréstimo dos R$ 45 milhões, pendências antigas de pagamento de fornecedores, parcelamentos previdenciários e tributários, operações de crédito, precatórios e outros passivos”. Ainda de acordo com Felipe Pinho, “os R$ 11 milhões restantes do empréstimo estão retidos no Banco do Brasil até que seja concluída a auditoria, mas as obras continuam em andamento”.

O prefeito Angelo Oswaldo enfatizou que o empréstimo de R$ 45 milhões acarretou num débito que será pago por essa gestão e pelas próximas. “40% desses R$120 milhões é provindo deste empréstimo e, com isso, teremos uma dívida de R$ 500 mil mensal durante todo o mandato e o valor pode aumentar devido aos juros”.

PLANO DE RETOMADA DA ECONOMIA

Durante a coletiva, foi explicado o Plano de Retomada da Economia de Ouro Preto que são 10 ações para recuperar a estabilidade financeira do Município devido à Pandemia da COVID-19. Muitas iniciativas já estão sendo executadas e a implantação da moeda local (cartão adiantamento) foi questionada pela imprensa.

Segundo o secretário de Fazenda, Felipe Pinho, “essa iniciativa partiu de uma startup de Ouro Preto e o projeto será encaminhado à Câmara Municipal e, caso aprovado, haverá a manutenção do emprego no setor do comércio e prestação de serviços da cidade. Será uma inserção de R$ 26 milhões na economia ouro-pretana em 2021”.

Ainda segundo Felipe Pinho, para receber o cartão é preciso que o servidor faça o cadastro no RH da Prefeitura e o dinheiro estará disponível na conta. “Essa moeda local funcionará da seguinte maneira: o servidor municipal receberá um adiantamento de 40% do seu salário para usar no momento que achar oportuno. Não haverá juros ou taxas sobre esse valor e caso ele decida por usar, o valor será descontado do próximo pagamento”.

EXTINÇÃO DA ARSEOP

No início da coletiva de imprensa, o prefeito Angelo Oswaldo cumprimentou a Câmara Municipal, com as presenças do presidente da Casa, Luiz Gonzaga, e do vereador Zé do Binga, pela votação em prol da extinção da ARSEOP.

Segundo Angelo, com a saída da agente reguladora, “a Secretaria de Obras ficará encarregada das reclamações sobre água e já possui um servidor para atender a demanda até que Agência Regional seja contratada para assumir essa responsabilidade”. Leia mais em www.ouropreto.mg.gov.br

Dívidas de Ouro Preto

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments