Blima Bracher

Parque das Andorinhas; esplendor natural em Ouro Preto

Contido na Área de Proteção Ambiental (APA) Estadual da Cachoeira das Andorinhas, o Parque Natural Municipal das Andorinhas foi criado pela Lei nº 390 de 30 de dezembro de 1968 para preservar os recursos naturais da região e a nascente do Rio das Velhas. Em 2005 foi realizada uma delimitação do Parque que culminou numa área de 557 ha.

A Natureza em seu Esplendor

O ponto central e o principal atrativo do Parque Natural Municipal das Andorinhas é a Cachoeira que dá o nome ao local. Essa majestosa queda d’água não é apenas um ponto turístico, mas também um elemento crucial para a preservação do alto valor biológico, turístico e histórico da região.

Contribuição Vital para o Ecossistema

O Parque não é apenas um refúgio cênico, mas desempenha um papel fundamental na preservação das nascentes formadoras do Rio das Velhas. Essa contribuição é de grande importância para a sub-bacia do Rio São Francisco, desempenhando um papel significativo no abastecimento de água da Região Metropolitana de Belo Horizonte, através do Sistema Rio Manso.

Vestígios Históricos e Culturais

Sob o ponto de vista histórico e cultural, a região do Parque Natural Municipal das Andorinhas é testemunha do início do Ciclo do Ouro das Minas Gerais. Os caminhos percorridos pelos Bandeirantes, que posteriormente originaram a cidade de Ouro Preto, têm raízes profundas nesta área.

Valor Ambiental para a Comunidade

Além de sua importância histórica e ecológica, o Parque desempenha um papel vital na qualidade de vida da população local. Ao contribuir para a conservação dos recursos hídricos, manutenção da permeabilidade do solo, biodiversidade e clima, torna-se um local de convívio e lazer essencial para a comunidade.

Diversidade Biológica e Geológica

A área do Parque está situada entre dois grandes domínios morfoclimáticos neotropicais: o Cerrado e a Mata Atlântica. Esta combinação resulta em uma grande diversidade e complexidade estrutural de ambientes, como matas, campos rupestres, afloramentos rochosos e áreas úmidas.

Potencial para a Conservação de Espécies Ameaçadas

Por estar contida nos domínios de Mata Atlântica e Cerrado, o Parque possui um potencial significativo para abrigar espécies raras e/ou ameaçadas. O Atlas da Fundação Biodiversitas, em 1998, indicou Ouro Preto como de extrema importância biológica para a conservação de aves em Minas Gerais.

Infraestrutura para Aproveitar a Natureza

Atualmente, o Parque conta com uma série de facilidades para os visitantes, incluindo um centro administrativo, campos esportivos, portaria, fraldário e vestiários. Iniciativas educativas, como “A Escola vai ao Parque”, promovem a conscientização ambiental.

Números que Traduzem o Impacto

O Parque registrou aproximadamente 13.000 visitantes e 5.000 veículos em 2009. Esses números, no entanto, representam apenas a entrada controlada por uma das portarias, já que o PNMA possui mais dois acessos, um pelo Morro São Sebastião e outro pela Praça do Bar do Baú.

O Parque Natural Municipal das Andorinhas não é apenas um destino turístico, é um santuário que abriga a história, a biodiversidade e a importância hídrica da região. Sua preservação e uso sustentável são essenciais para garantir que as futuras gerações possam desfrutar e se beneficiar desse tesouro natural.

Texto: Maria Eduarda Gomes / Revisão: Victor Scutz

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments