Blima Bracher

Gastronomia e turismo: alternativas para a economia de Santo Antônio do Leite


Pesquisa “Economia Criativa de Santo Antônio do Leite”, com visita ao Clube das Mães no Catete.
Imagem: Diretoria de Estudos Econômicos

A Diretoria de Estudos Econômicos entregou mais um relatório, dessa vez, uma pesquisa sobre a estimativa da Economia Criativa no distrito de Santo Antônio do Leite, que ocorreu durante a primeira quinzena de maio de 2023, sendo entrevistados 29 profissionais na região. Além de promover a expressão cultural e artística, a economia criativa também impulsiona o crescimento econômico, a inovação e o empreendedorismo. Ela cria empregos, atrai investimentos, estimula o turismo e contribui para a formação de identidades culturais locais.

Segundo a pesquisa, observou-se uma diversidade de atividades e profissionais envolvidos nesse setor. No distrito, as atividades artísticas, ligadas às expressões culturais tradicionais e às artes visuais e cênicas, representam 10% da economia criativa. O patrimônio cultural, incluindo eventos culturais, artesanato e pintura, corresponde a, aproximadamente, 50% das atividades. Já as criações funcionais, como moda, joias e gastronomia local, abrangem cerca de 37% dos trabalhadores nesse setor.

Um dado importante é sobre a faixa etária dos profissionais, que, em sua maioria, estão entre 30 a 60 anos, com uma predominância de mulheres no exercício das atividades de economia criativa, representando 66% dos entrevistados. Em relação à raça/cor, 66% das mulheres entrevistadas são negras, enquanto 36% dos homens são negros.

Sabemos que a economia criativa está em expansão e, segundo a pesquisa, muitos dos entrevistados têm mais de uma profissão, o que pode demonstrar uma busca por mais estabilidade financeira. Além disso, a internet e as redes sociais são as principais fontes de informação utilizadas pelos profissionais, refletindo a crescente dependência das plataformas online na busca por conhecimento e comercialização de produtos e serviços.

No entanto, é importante destacar que nem todos os profissionais têm acesso a computadores pessoais, o que pode limitar o desenvolvimento de suas atividades. Também foi pontuado pelos entrevistados a má qualidade da internet no distrito, prejudicando o acesso à informação e a comercialização de bens e serviços.

Conforme a pesquisa, alguns dos desafios enfrentados pelos profissionais da economia criativa no distrito de Santo Antônio do Leite incluem baixa demanda pelos produtos/serviços, o acesso a recursos tecnológicos (inclusive inviabilizando a chegada de informações), oferta de transporte público e informalidade.

Fábio Rocha, diretor de Estudos Econômicos da Smdeit, reforça a importância de ações públicas para melhoria dessa atividade. “É necessário promover políticas e programas que incentivem o desenvolvimento da economia criativa, garantindo acesso igualitário a recursos e oportunidades para todos os profissionais. Superar os desafios existentes e promover um ambiente favorável para o desenvolvimento da economia criativa é essencial para o progresso e a sustentabilidade”.

Leia o estudo na íntegra pelo link:https://ouropreto.mg.gov.br/static/arquivos/menus_areas/Relatorio-Santo-Antonio-do-Leite.pdf?dc=8672

Texto e revisão: Nathália Souza

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments