Blima Bracher

Bacias Hidrográficas do São Fco.: debate em Ouro Preto

Rio São Francisco em pauta

Ouro Preto recebe pela primeira vez a Plenária do Comitê das Bacias Hidrográficas do Rio São Francisco
A última semana foi histórica para Ouro Preto. Pela primeira vez o município foi sede da Plenária do Comitê das Bacias Hidrográficas do Rio São Francisco (CBHSF). Com o tema “Em defesa da lei das águas”, a XLIII Plenária Ordinária colocou em discussão o estudo técnico a partir de diagnóstico de barragens e rejeitos minerários e industriais existentes na bacia hidrográfica do Rio São Francisco, apresentado pela RHA (Recursos Hídricos e Ambientais Engenharia), e a PL 4.546/21, que institui a Política Nacional de Infraestrutura Hídrica e dispõe sobre a organização da exploração e da prestação dos serviços hídricos, dentre outros assuntos.
O Comitê tem a responsabilidade de alertar sobre o risco e a importância do controle das barragens para a bacia do Velho Chico. O presidente do CBH São Francisco, José Maciel Nunes de Oliveira, chamou atenção para a importância de valorização do saneamento e investimento nas águas do Rio das Velhas, sendo este o maior afluente do Rio São Francisco. Além disso, ele salientou que o Comitê já investiu cerca de 20 milhões de reais com projetos como planos municipais de saneamento.
O encerramento do evento aconteceu nesta sexta-feira (20) com uma visita técnica dos participantes da Plenária ao Parque Natural Municipal das Andorinhas, onde está localizada a nascente do Rio das Velhas. O secretário municipal de Meio Ambiente, Chiquinho de Assis, disse que é um momento muito simbólico, pois, além de ser a primeira visita dos membros do Comitê ao local, foi também inaugurada a escada de acesso à nascente, melhorando a acessibilidade para os visitantes. Chiquinho também lembrou que foi no governo de Angelo Oswaldo, quando Ronald Carvalho Guerra era secretário de Meio Ambiente, que a unidade de conservação foi criada; e anunciou, em primeira mão, que estudos recentes realizados em parceria com o PET Ambiental (Ufop) constataram a balneabilidade das águas.
O diretor municipal de Parques, Pedro Rodrigues, ressaltou que o Parque tem características únicas por estar próximo à zona urbana. “A gente se esforça muito para preservar as nascentes, ao mesmo tempo que temos um trabalho para envolver a comunidade ao redor nessa preservação”. A presidente do CBH Rio das Velhas, Poliana Valgas, completou: “A gente só vai ter um rio melhor se a gente cuidar das bacias. Acredito muito que a gente só vai avançar com a participação social”.
Hoje, o Parque recebe uma média de 3 mil visitantes ao mês, e a Secretaria de Meio Ambiente tem parceria com a Fundação Gorceix para realizar a gestão do espaço. “Este parque ficou sem investimentos durante 8 anos, e agora estamos colocando para funcionar novamente”, finalizou a vice-prefeita Regina Braga.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments