Blima Bracher

Não é milagre: é cerveja, a verdadeira água benta

Cervejas abadias, por Blima Bracher. Imagem: reprodução

Porque os monges católicos fazem algumas das melhores cervejas do mundo

Foi visitando Bruxelas e o Museu da Cerveja que pude entender melhor a relação entre aqueles monges bochechudos, que aparecem nos rótulos das chamadas cervejas abadias, e sua ligação o com o precioso líquido que contem tais garrafas.

Longe do pecado da gula, a cerveja era antes de tudo a verdadeira água benta ou sagrada. Foi na Idade Média (476 a 1453)  que a Igreja Católica entrou de vez na tradição culinária europeia. Nos mosteiros e abadias, frutas frescas, nozes, castanhas, chocolates, mel e outras iguarias eram misturadas em borbulhantes xaropes e mostos que davam origem às cervejas.

Algumas fórmulas eram consideradas santas, pois colocadas nas portas dos conventos em grande pipas, serviam para matar a sede dos peregrinos . Além de revigorantes, por conterem álcool, as cervejas serviam para livrar viajantes de pestes e doenças. A água benta era, então, a cerveja. As chamadas trapistas ou abadias são ainda fabricadas em sete conventos na Bélgica e dois na Holanda.

Para quem adentrasse o templo, eram permitidas dubbles e para os internos e mestres cervejeiros eram servidas as chamadas as tripels e quadrupels.

Alguns Santos tem o nome ligados ao líquido sagrado. Confira:

Santo Arnaldo ( 1050 a 1087)

Patrono dos colhedores de lúpulo, ainda jovem teria sido adotado por camponeses da região de Brabant, na Bélgica, grande produtora de lúpulo na Idade Média. Seu milagre atribuído teria sido servir o exército belga e conseguir cerveja para as tropas, ficando famoso por curar doenças e pragas de quem se servisse na tina onde mergulhava seu crucifixo. É celebrado no dia 15 de agosto.

Santo Arnulf de Metz (580 a 640)

Nascido na Áustria, ficou famoso como bispo de Metz, na França. Patrono dos cervejeiros, reza o milagre de que, durante seu enterro , nenhuma das canecas de seus seguidores teria ficado vazia, enquanto transportavam seu corpo para ser enterrado em Champigneulles, na Bélgica. É celebrado no dia 18 de julho.

São Wenceslau (907 a 929)

Esse é o padroeiro da Boêmia e, portanto, protetor dos cervejeiros. Comemorado no dia 28 de setembro.

São Columbano

Como peregrino em mosteiros da Europa disseminou entre abades e monges seus conhecimentos e receitas. Fundou mosteiros em época de difusão do cristianismo europeu, tendo espalhado a cultura cervejeira por onde passou.

São Patrício

Celebrado como cervejeiro na Grã Bretanha e no país de Gales, junto com São Columbano e Santa Brígida de Kildare. Santo Agostinho também é conhecido como um patrono dos cervejeiros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.